Conteúdo

Um pouco sobre a NR-13 e Vasos de Pressão

A NR-13 é uma norma regulamentadora que diz quais são as exigências mínimas para o controle da integridade da estrutura das caldeiras a vapor, vasos de pressão e suas tubulações de interligação. Essas exigências referem-se a inspeção, instalação, manutenção e operação dos equipamentos com o objetivo de garantir a segurança e a saúde dos operadores.

 

Pela NR-13, os vasos de pressão são equipamentos que recebem em seu interior fluidos e que podem sofrer a ação de pressão interna ou pressão externa. Essas pressões são diferentes da pressão atmosférica.

 

O não cumprimento das exigências constantes na NR-13 e que possa prejudicar o trabalhador, é considerada condição de risco grave e iminente. Abaixo os itens que merecem uma atenção especial:

 

  • Utilização de equipamentos que não contenham aparelhos de segurança calibrados com a pressão de abertura igual ou inferior a pressão máxima de trabalho admissível (PMTA). Esses dispositivos de segurança devem ser instalados nos equipamentos ou sistemas levando em conta as exigências do código de projeto que dizem respeito a aberturas escalonadas e tolerâncias de ajuste;
  • Vencimento no prazo da inspeção periódica dos vasos de pressão;
  • Bloqueio intencional ou não dos dispositivos de segurança sem a explicação técnica fundamentada em códigos, procedimentos ou normas de utilização do equipamento;
  • Utilização de equipamento com a vida útil vencida atestada por meio de recomendação de sua retirada de operação. Esta recomendação ocorre através de um parecer feito no relatório de inspeção;
  • Operação do vaso de pressão por profissional não qualificado ou que não esteja sendo supervisionado por operador qualificado.

 

A NR-13 diz que os vasos de pressão tem que possuir os itens a seguir:

 

  • Válvula de segurança calibrada com pressão de abertura igual ou inferior à pressão máxima de trabalho admissível, instalada diretamente no vaso. A NR-13 enfatiza que os dispositivos de controle e segurança dos vasos de pressão tem que passar por manutenção preventiva ou preditiva.
  • Equipamentos que não permitam o fechamento inadvertido do dispositivo de segurança quando o mesmo não estiver instalado diretamente no vaso;
  • Manômetro que mostre a pressão de operação.

 

De acordo com a NR-13 os vasos de pressão devem vir acompanhados, em local de fácil visualização, de uma placa de identificação que não pode ser apagada e que contenha as informações a seguir:

 

  • Nome da empresa;
  • Numeração
  • Ano em que o vaso foi fabricado;
  • PMTA;
  • Pressão em que foi realizado o teste hidrostático para a fabricação;
  • A categoria do vaso;
  • Norma utilizada para fabricação e o ano de sua edição.

 

Segundo a NR-13 os vasos de pressão devem vir acompanhados do prontuário contendo a norma utilizada para fabricação e o ano de sua edição, características dos materiais empregados, pressão máxima de trabalho admissível, desenho dimensional, pressão máxima, pressão máxima de operação, teste hidrostático, ano em que foi fabricado e a categoria do vaso. O prontuário deve estar em local de fácil acesso para eventuais consultas.

 

A NR-13 diz, a respeito da instalação do vaso de pressão, que o mesmo deve ser colocado de uma forma que os seus acessórios (drenos, respiros, bocas de visita e indicadores) fiquem com fácil acesso para fácil visualização e manutenção.

 

As válvulas de segurança dos vasos de pressão, de acordo com a NR-13, devem ser desmontadas, inspecionadas e calibradas seguindo o prazo indicado para a sua manutenção. No entanto, este prazo não deve ser maior do que o prazo previsto para a inspeção de segurança periódica dos vasos que são por elas protegidos.

 

Logo após a inspeção, o Registro de Segurança do vaso deve ser preenchido com a sua condição de operação e, no prazo de até 60 dias, deve ser confeccionado o relatório que começa a fazer parte dos documentos do mesmo. Esse prazo poderá ser ampliado para 90 dias no caso de uma parada geral para serviços de manutenção.

 

O relatório de inspeção tem que conter as seguintes informações:

 

  • A numeração do vaso de pressão;
  • A categoria do vaso;
  • A data que começou e terminou a inspeção;
  • Qual foi o tipo de inspeção realizada;
  • Quais exames e testes foram feitos;
  • Qual o resultado dos exames, testes e intervenções realizados;
  • Parecer descrevendo qual a condição do vaso até a próxima inspeção;
  • Quais as providencias e recomendações a serem realizadas;
  • Data para a realização da próxima inspeção.

 

Pela NR-13 toda vez que os resultados das inspeções mostrarem mudanças nas condições de projeto, a plaqueta de identificação e a documentação do prontuário tem que ser atualizados.

 

Segundo a NR-13 as recomendações indicadas na inspeção tem que ser feitas dentro de um prazo estabelecido e por profissionais adequados para execução desse serviço.

Sobre a loja

Ar Comprimido - Acessórios e peças para ar comprmido, reservatórios, vasos de pressão, tanques de pressão, tanques de vácuo, vasos separadores, pulmão para ar comprimido e cilindros para ar comprimido, confira.

Selos

Arcomprimido Comércio e Serviços Ltda - (11)2307-5239 (11)5587-6091 - arcomprimido@arcomprimidobrasil.com - CNPJ: 03.296.418/0001-86 © Todos os direitos reservados. 2018